As alterações da regulamentação

Trata-se de uma série de testes obrigatórios que certificam a conformidade regulamentar de todos os novos veículos que chegam ao mercado. O objetivo é verificar que todos os veículos respeitam as regras de emissão de poluentes, mais conhecidas por normas antipoluição. Atualmente é a norma Euro6 que está em vigor.

Os testes são realizados em laboratório e efetuados por organismos independentes (por exemplo, o UTAC em França). Estes testes baseiam-se em ciclos de condução harmonizados (duração, velocidade, equipamento, temperatura, etc.) durante os quais são medidas as emissões de poluentes e de CO2, bem como o consumo de combustível no caso dos veículos com motor de combustão. Com efeito, estas medições permitem comparar os desempenhos dos modelos de vários construtores. Estas informações são atualmente difundidas através de catálogos ou dos websites comerciais dos construtores.

Até setembro de 2017, o Novo Ciclo de Condução Europeu (NEDC) – a referência desde 1990 - foi o protocolo de homologação em vigor. Este ciclo de homologação tornou-se obsoleto porque não acompanhou as evoluções da tecnologia automóvel. Por isso, o protocolo WLTP substituirá progressivamente o NEDC.

Qual a diferença entre os dois protocolos? Logo à partida, o ciclo de condução com o formato WLTP é mais longo e mais representativo que o do NEDC. As velocidades dos testes são mais elevadas, o intervalo das temperaturas testadas é maior e todos os equipamentos do veículo entram em linha de conta (consulte a tabela abaixo). Em síntese, isto permite obter resultados muito mais consistentes com os realizados diariamente em situação real.

 Na tabela abaixo são apresentadas as diferenças entre os testes NEDC e WLTP.

Dado que as condições de realização dos testes representam melhor as situações de uma utilização real, os resultados em termos de consumos e de emissões são, por consequência, mais elevados do que os anunciados atualmente nos catálogos. No entanto, o consumo real quotidiano não é afetado. Trata-se simplesmente de uma representação mais correta do consumo e das emissões que, com o ciclo WLTP, tem em conta com maior rigor o tipo de veículo e ainda os equipamentos e as opções escolhidos. Esta medição será, além disso, calculada a partir de uma grelha de resultados registados durante o teste (em vez de um único resultado por modelo, como acontece com o protocolo NEDC).

Se bem que as condições dos ciclos de condução do teste WLTP são mais rigorosas do que as do protocolo NEDC, elas não consideram o conjunto dos parâmetros de utilização real de um veículo - razão de ser do teste de Emissões em Contexto Real de Utilização (RDE).

Realizado em estradas com condições de circulação reais, este teste completa a homologação, verificando os níveis de emissão dos poluentes.

O Grupo Renault já começou a fornecer aos seus clientes os resultados dos testes de emissões de poluentes RDE realizados nos veículos novos matriculados depois de maio de 2016. Para mais informações, consulte aqui.

• De setembro 2017 a setembro 2018, todos os novos veículos de passageiros lançados no mercado (novo modelo/motor) devem ser homologados segundo o teste WLTP.

• A partir de setembro 2018, todos os veículos de passageiros devem ser homologados em função do ciclo WLTP.

• Até final de 2018, por uma questão de simplicidade, as autoridades solicitam a todos os construtores que continuem a comunicar apenas os resultados do ciclo de homologação NEDC. Isto significa que os resultados de todos os veículos aprovados no ciclo de testes WLTP devem ser convertidos nos valores NEDC equivalentes até ao início de 2019. Estes serão os dados utilizados para calcular a fiscalidade associada nos diferentes país abrangidos.

• A partir de janeiro de 2019, todos os valores de referência publicados serão exclusivamente dados WLTP.

• Paralelamente à implementação do protocolo de homologação WLTP, a norma antipoluição que estes veículos devem respeitar evoluirá também progressivamente com o objetivo de reduzir o impacto ambiental dos veículos. Isto levará à chegada da norma Euro6D no horizonte de janeiro de 2020.

É importante lembrar que nem os desempenhos nem o consumo real de combustível serão afetados, qualquer que seja o protocolo de homologação aplicado.

No entanto, os resultados dos níveis de CO2 e de consumo de combustível anunciados pelos construtores irão naturalmente aumentar, já que o novo protocolo WLTP reflete melhor a realidade quotidiana do veículo.

Em concreto, o ciclo WTLP representa melhor as condições reais do que o do NEDC mas não influencia nem o desempenho nem o consumo de combustível do seu veículo.