Descubra a Renault Inovação / Vanguarda

Renault Captur

02.2011

Renault Captur: Rumo à Aventura!

 

 

• Apresentado hoje por Carlos Ghosn, o CAPTUR é o novo concept car que reflete a estratégia de design da Renault.

• Um crossover desportivo, de linhas generosas e atléticas, que simboliza a exploração do Mundo e prefigura um futuro modelo da gama da Renault.  

• O concept-motor Energy dCi 160, twin-turbo, de baixa cilindrada, alia o prazer de condução a elevadas performances, às reduzidas emissões de CO2.

 

 

No Salão de Frankfurt de 2009, a Renault apresentou a nova identidade da Marca, que coloca o ser humano no centro das atenções. A nova e ambiciosa estratégia de design que daí resulta está baseada nas diversas etapas da vida, sendo cada uma materializada na forma de um concept car. O primeiro deles, o DeZir, é um coupé de dois lugares, que simboliza a paixão no começo de uma nova relação. O Renault CAPTUR aborda o segundo patamar deste ciclo: o da exploração do Mundo a dois.

 

Tal como o seu antecessor, o Renault CAPTUR possui o estilo “simples”, “sensual” e “caloroso” que irá marcar, progressivamente, os próximos modelos da marca. O Renault CAPTUR é um “crossover divertido e desportivo, destinado a um jovem casal pronto para descobrir o Mundo”, explica Laurens Van den Acker, diretor de design. Axel Breun, diretor dos concept car, acrescenta que “o CAPTUR apoia-se na linguagem formal introduzida pelo concept car DeZir, com uma vertente mais técnica, mais funcional, mas igualmente sensual”.

 

Um Crossover Dinâmico e com Músculo

 

As proporções e as curvas do Renault CAPTUR evocam movimento e subtileza, ao mesmo tempo que apresentam um forte e musculoso caráter de todo-o-terreno. Na continuidade do DeZir, não se vislumbram ângulos ou linhas, mas sim formas sensuais e naturais. E foi no desporto e nos próprios atletas que o designer de exteriores Julio Lozano recolheu a inspiração: “Para desenhar o CAPTUR parti da imagem de um sprinter, nos blocos de partida, com os músculos tensos, e na potência que coloca na partida”..

 

O Renault CAPTUR recupera a nova identidade visual da dianteira apresentada pelo DeZir e que se estrutura em redor do logótipo de grandes dimensões, verticalizado e colocado sobre uma superfície escura, para aumentar a sua visibilidade. Os faróis de LED prolongam os “piscas” através de um efeito de ondas que se propagam ao longo da carroçaria.

 

O Renault CAPTUR não se inscreve apenas no registo emocional, sendo, também, um automóvel prático e polivalente. O teto rígido, de abrir, uma vez retirado, revela uma estrutura em carbono, que permite ao CAPTUR converter-se… De um coupé para um descapotável e de um automóvel urbano para um todo-o-terreno. As portas, em asa de gaivota, e os pneumáticos de 22 polegadas, montados em jantes pretas e brancas, reforçam o caráter assumidamente desportivo.

 

O Renault CAPTUR apresenta uma carroçaria numa cor quente, em tons laranja, que prolonga o vermelho do DeZir. Esta cor é também declinada em várias nuances e materiais, tanto no exterior como no interior do automóvel.

 

Um Interior Simples e Caloroso

 

O habitáculo é, sobretudo, de cor laranja, com notas fluorescentes realçadas pela contínua difusão de luz. “Os meus principais temas de inspiração foram o corpo humano, os desportos de exterior ou o estilo urbano”, explica Kana Watanabe, designer de cores e materiais. “Queria que o automóvel transmitisse calor e dinamismo”. O interior do CAPTUR é, ao mesmo tempo, simples e convivial. A sensação de leveza, sugerida pelo design exterior, predomina também no interior, com os bancos dianteiros ligados à consola central, como se estivessem suspensos no ar. O CAPTUR é “despido” de equipamentos supérfluos para a vida a bordo. No interior são utilizados materiais inovadores que permitem jogar com a luz e com os efeitos de ótica. A consola central, os painéis das portas, ou o painel de bordo, são produzidos num material translúcido, como se fosse uma segunda pele. “Todo o interior foi concebido em redor de uma rede de fibras elásticas esticadas, que lembram o universo da vela ou da alta montanha. Os jogos gráficos e luminosos reforçam o dinamismo do automóvel, ao mesmo tempo que tornam o habitáculo mais… leve”, justifica Magali Gouraud-Borgers, designer de interiores.

 

O volante de couro cinza, os bancos tipo bacquet em carbono e, os pedais em alumínio, reforçam o aspeto desportivo do automóvel.

 

 

A traseira, com o seu piso coberto por uma tapeçaria com 3 níveis de entrançados, é uma zona polivalente:

- a colocação dos entrançados em tensão permite a fixação de objetos, oferecendo um espaço de arrumos modulável.

- A elasticidade desta estrutura convida, igualmente, ao repouso. É uma nova forma de conforto a bordo, uma nova forma de se sentar, como se estivesse numa cama de rede.

- o CAPTUR joga com a modularidade ao propor, nas laterais do automóvel, bancos com costas articuladas que permitem criar dois verdadeiros lugares traseiros com cintos de segurança e apoios de cabeça. O CAPTUR pode, então, acolher quatro passageiros.

 

 

Inovador, Performante e Económico

 

O Renault CAPTUR está equipado com o concept-motor Energy dCi 160, twin-turbo, desenvolvido com base no novo Energy dCi 130 apresentado no último Salão de Paris. Para atingir o seu objetivo de liderança europeia em termos de emissões de CO2, a Renault aposta numa estratégia de downsizing, propondo ao lado da futura gama elétrica, uma gama de motores térmicos que aliam o elevado desempenho aos consumos reduzidos. O motor Energy dCi 160, twin-turbo, insere-se, na perfeição, nesta estratégia. Graças à dupla sobrealimentação, o motor desenvolve 160 cavalos de potência (118 kW) para uma cilindrada de 1.6 litros, ou seja, uma potência específica de 100 cv/litro. Associado a uma caixa de velocidades de dupla embraiagem EDC, este grupo moto-propulsor garante o prazer da condução com emissões de CO2 limitadas a 99g/km.

 

Para incrementar os desempenhos, o CAPTUR dispõe do RX2®, um sistema inovador que aumenta a motricidade a baixa velocidade. Quando uma das duas rodas motrizes perde aderência, este novo diferencial mecânico autoblocante transmite todo, ou parte, do binário disponível no motor para a roda com mais aderência. A condução mantém-se assim fluida em estradas ou caminhos com piso escorregadio.


O Renault CAPTUR apresenta, igualmente e, pela primeira vez, o visio-system, uma inovação que consiste numa câmara dianteira montada na zona superior do para-brisas, associada a sistemas de apoio à condução. Esta nova tecnologia coloca imagens de síntese sobre as imagens da estrada projetadas no ecrã central. É o princípio da realidade aumentada, que permite complementar a perceção do mundo real com elementos fictícios. Um sistema que, desta forma, confere uma condução mais serena, aliando segurança a conforto.

 

A nova estratégia de Design faz a ligação entre a Marca e os clientes em cada

experiência da sua vida: quando se apaixonam, descobrem o Mundo, fundam uma família, trabalham, tiram partido dos seus tempos livres e atingem a maturidade. Esta estratégia é acompanhada da definição de uma nova linguagem estilística inspirada por três palavras-chave: “simples”, “sensual” e “calorosa”. Nesta estratégia, os concept car vão, progressivamente, dar continuidade a esta visão e prefigurar o plano de novos produtos para criar uma oferta de modelos coerente e clara. 

 

Dimensões (mm) 

Comprimento

4223

Largura

1950

Altura

1586

Altura ao solo em carga

261

Distância entre eixos

2624

Via dianteira

1684

Via traseira

1684

 
Dados técnicos

Motor

Energy dCi 160 twin-turbo

Potência em kW/cv

118 kW/160

Cilindrada (dm3)

1598

Emissões de CO2

99 g/km (ciclo misto NEDC)

Binário máximo (Nm)

380

Velocidade máxima (km/h)

210

Transmissão

Efficient Dual Clutch (dupla embraiagem)

Pneumáticos

250/40 R22

Cx

0,31

Peso em vazio (kg)

1300

0/100 Km/h (s)

8

1000m – partida parada (s)

29

 
Parceiros

G Studio

Carroçaria

Michelin

Pneumáticos