Eco-condução

Conselho n.º 1: Otimize as suas mudanças de relação

Reduza de mudança às 1000 rpm, aproximadamente. Passagem à mudança superior às 2000 rpm, em diesel, e às 2400 rpm, num motor a gasolina. A 50 km/h já deve estar na 4.ª ou na 5.ª relação.

Conselho n.º 2: Opte por uma condução tranquila

Antecipe qualquer situação de trânsito imprevista e evite, assim, ter de acelerar ou travar bruscamente. Mantenha uma velocidade constante (> 40 km/h). Trave com o motor e utilize o pedal de travão o menos possível. A desaceleração natural permite interromper o fornecimento de combustível. A 50 km/h e em 5.ª, levante o pé do travão 100 m antes do sinal vermelho.

Conselho n.º 3: Controle as suas acelerações e a sua velocidade

Até aos 60 km/h é preferível acelerar bem até ser possível engrenar a 5.ª. Acima de 60 km/h, as acelerações devem ser mais moderadas. Mude de relação rapidamente até chegar à 5.ª.

Conselho n.º 4: Controle as suas acelerações nas subidas e nas descidas

Mantenha a velocidade em descida. Abrande nas subidas sem interferir com a circulação e, se possível, estabilize numa velocidade superior a 40 km/h. Aproveite as descidas para levantar o pé do acelerador.

Conselho n.º 5: Controle o aquecimento do motor do seu automóvel

Desligue o motor quando está parado há mais de 30 segundos. Não pré-aqueça o motor antes de arrancar, mesmo no inverno. Arranque assim que ligar a ignição.

Conselho n.º 6: Otimize a utilização do seu automóvel

Verifique a pressão dos pneus mensalmente. Se for preciso utilizar o ar condicionado, tente evitar grandes variações de temperatura entre o exterior e o interior do seu automóvel. Não circule com o veículo carregado se não houver necessidade disso. Desmonte as barras transversais quando já não forem necessárias. Uma boa manutenção e utilização do automóvel é tão importante como a eco-condução.